Aumento dos pequenos lábios vulvares

A Hipertrofia de pequenos lábios é a deformidade vulvar mais frequente e mais descrita na literatura, além de ser a queixa mais comum dentro da estética genital feminina.

O excesso de projeção dos pequenos lábios sobre os grandes lábios, pode, em algumas situações, causar desconforto físico e psicológico. Dor ou incômodo na relação sexual, irritação local, dificuldade para a prática de alguns esportes e motivos estéticos são as queixas principais.

O pequeno lábio vulvar tem como função a proteção do intróito vaginal, da uretra e do clitóris. Durante a micção, eles tem a função de direcionar o jato da urina. Em média seu comprimento varia de 3 a 3,5 cm e sua largura de 1 a 1,5 cm. Podem ser alongados, curtos, tortuosos, podendo possuir algumas dobras ou ondulações e serem assimétricos.

A hipertrofia é definida por alguns autores quando a distância entre a projeção máxima e base do lábio menor excede quatro centímetros de comprimento, sendo que em grande número de pacientes ocorre assimetria, bilateral ou unilateral. Outros autores delimitam até cinco centímetros de extensão como critério para diagnóstico de hipertrofia. Porém, para se indicar ou não um procedimento cirúrgico, esses parâmetros, em sua maioria, não são aplicados rotineiramente, pois se valoriza, com maior intensidade, as queixas das pacientes, como a dificuldade de relação sexual, a limitação ao uso de roupas apertadas e a prática de esportes.

O tratamento é cirúrgico (chamada de Labioplastia ou Ninfoplastia). É considerada uma cirurgia de pequeno porte, realizada a nível ambulatorial (não requer internação). É feito um ressecamento dos lábios para diminuí-los e o excesso de pele é retirado. A sutura é feita com fio absorvível e cai espontaneamente. O tempo cirúrgico é de 30 a 45 minutos. Não é necessário curativo, não deixa cicatriz aparente e nem provoca perda da sensibilidade local. O retorno às atividades se dá em 2 a 3 dias. Recomenda-se abstinência sexual de 30 dias. É importante salientar que o clitóris (zona máxima da excitabilidade feminina) não é tocado.